11 de março, 2020

Assoc. Minist. Público defende Paulo Brondi, pela sua liberdade opinião atacada até pela AGU

A AGU decidiu abrir inquérito contra o Promotor Paulo Brondi, que afirmou em suas redes sociais que Bolsonaro é "cafajeste", "macho de meia tijela" e "a parte podre de um país adoecido", quebrando o silêncio da instituição sobre o governo. Segundo o jornalista Juca Kfouri, trata-se de um atentado contra a liberdade de expressão por parte da AGU - Advocacia Geral da União.

Brasil 247 em 06/março/2020 - 19h35 h Atualizado em 06/março/2020 - 21h57 - foto capa: o advogado geral da união, André Mendonça e o Presidente Jair Bolsonaro - UOL.

As críticas do promotor foram publicadas pelo jornalista Juca Kfouri, em seu blog no UOL (acesse o texto aqui). Foi ele também que noticiou a decisão da AGU sobre a abertura do inquérito. Para o jornalista, trata-se de um atentado contra a liberdade de expressão.    
__________________________________________________________

AGU contra a liberdade de expressão, por Juca Kfouri no Blog do Juca no Portal da UOL em 06/03/2020 15h23

Cafajestagem: se há um termo que tem sido usado com frequência na imprensa independente do país, e nas charges, para qualificar as atitudes da família Bolsonaro, é exatamente este, repita-se, cafejestagem.

Cafajestagens, como se sabe, são cometidas, em regra, por cafajestes, embora nem sempre, porque, às vezes, pode escapar uma de pessoa educada.

Mas como definir "Ela queria dar o furo", frase desferida pelo presidente da República, para desqualificar uma jornalista?

Ou "Eu não te estupro porque você não merece", para agredir uma deputada?

Ou "pergunta para sua mãe", para ofender outra jornalista e, ainda, para um jornalista, "você tem cara de homossexual terrível"?

Ocuparia centímetros intermináveis aqui citando outros exemplos desferidos pelo quarteto Bolsonaro.

Pois eis que, por não achar outro adjetivo mais adequado para se referir ao presidente que nos infelicita, o promotor de Justiça, Paulo Brondi, assim o tratou em suas redes sociais e foi reproduzido pelo blog.

Não é que a Advocacia Geral da União, a AGU, veja bem, da União, não de quem ocupa o Palácio do Planalto, resolveu abrir inquérito contra o membro do Ministério Público goiano?

A AGU no papel de censora?

Só cabe uma explicação: bajulação explícita do advogado geral da união, André Mendonça (foto capa), em busca de vaga no STF.

Não bastasse a insana campanha do governo federal contra a imprensa, agora a AGU se junta como braço jurídico da sanha obscurantista.
__________________________________________________________

Nota de Apoio - 10/3/2020 - A Associação Goiana do Ministério Público - AGMP, entidade de classe que congrega membros, ativos e aposentados, do Ministério Público de Goiás, vem a público repudiar os graves ataques e diversas ameaças que o promotor de Justiça Paulo de Tharso Brondi de Paula Rodrigues tem recebido em redes sociais como inequívoca forma de retaliação à manifestação de autoria do associado divulgada em artigo de opinião.


Numa democracia, a natural discordância de ideias, principalmente de ordem política, deve ser materializada por meio de argumentos, jamais pela via intimidatória.

A AGMP continuará acompanhando o caso e estará ladeada com o associado para todas as providências que eventualmente se fizerem necessárias.

A Presidência
__________________________________________________________

São Mintinho, padroeiro das milícias e dos laranjais… por Renato Aroeira
em 09/10/2019 no Humor Político

__________________________________________________________
Acesse, curta e recomende o JORNAL DO NASSIF

Participe do BLOG e comente esta matéria (dentro das regras abaixo)!

- Enviaremos um e-mail para confirmar se a postagem realmente é sua e não um fake (seu endereço de e-mail não será publicado, será mantido sob sigilo).
- Os comentários serão moderados e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva do autor do comentário.
- Não serão aceitas mensagens com links externos ao site, em letras maiúsculas, que ultrapassem 1000 caracteres, com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência.
- Não há, contudo, moderação ideológica.
A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade.
Obrigado!

Limite de caracteres no comentário : 1000

Total restante: